receba newsletter

Empresas Verdes

Notícias

Mônica Mancini

O modelo atual de desenvolvimento do mundo não é totalmente sustentável. Mudanças climáticas, aquecimento global, perda de diversidade biológica, entre tantos outros problemas tendem a aumentar a vulnerabilidade da vida humana e dos ecossistemas no planeta. Para participar do processo desta transformação, o papel da sociedade e das organizações é fundamental, pois estas são responsáveis em garantir que as necessidades das gerações presentes sejam atendidas sem impedir que as gerações futuras também o façam. Desta forma, algumas empresas já possuem modelos de negócios sustentáveis e que, sem dúvida, é um dos grandes desafios neste século, implementá-los.

Nos quesitos de governança e sustentabilidade, os bancos brasileiros tem-se destacado, conforme mostra a última pesquisa da consultoria Management & Excellence (M&E) em parceria com a revista Latin Finance. A pesquisa mostrou "Os 40 maiores Bancos da América Latina em Sustentabilidade" referente a aplicação de critérios de governança corporativa, responsabilidade social e sustentabilidade, incluindo indicadores como Ibovespa, Global Reporting Initiative (GRI), OECD, NYSE, ILO, Global Compact, Millennium Goals. No ranking de 2009, os bancos brasileiros aparecem: na 1º colocação: Bradesco e Itaú-Unibanco. Na 3º, Banco do Brasil e o Banco Santander Real. Na 16º e 23º colocações, Banco Nossa Caixa e Banrisul.

Empresas Verde, Consultoria em Projetos

Figura: Empresas Verdes - um novo desafio organizacional
Fonte: Internet

Além deste setor, outros segmentos também tem contribuido para amenizar o impacto ambiental dos seus modelos de negócios em relação a:

  1. Prática sustentável de produção: supermercados como Sonda, Pão de Açúcar, Extra, Carrefour, grupo Wal-Mart Brasil oferecem sacolas ecológicas aos seus clientes que demoram um ano e meio para sua decomposição, quando mantidas em casa. A Dell tem investido em computadores que consomem menos energia e usam menos matéria-prima nociva. A Samsung lançará o Blue Earth - celular ecológicamente correto e desenvolvido com garrafas pet recicladas. Ele possui um painel solar que permite 16 minutos de conversação, após 1 hora exposto aos raios solares e possui um software que contabiliza os passos do usuário, para calcular a quantidade de CO2 que deixaram de ser eliminados quando o usuário anda a pé.
     
  2. Descarte dos equipamentos eletrônicos: empresas como Vivo, Dell, Claro, HP, Motorola, Nokia, Sony Ericsson recolhem os aparelhos eletrônicos usados para reciclagem e confecção de novos aparelhos celulares e computadores.
     
  3. Hardware: Banco Itaú adquiriu o mainframe IBM System z10 para aumentar a eficiência e o desempenho no Data Center e reduzir custos de energia e de resfriamento. No período 2008 a 2010, este banco investirá em projetos de TI Verde, como virtualização de servidores, adoção de equipamentos "green" e a implantação do conceito Next Generation Data Center (NGDC) para melhorar o desempenho na eficiência energética.
     
  4. Software: a IBM lançou alguns softwares verdes para monitoramento do consumo de energia como: Soluções Tivoli: gerencia o consumo de energia para reduzir custos e controlar emissões de carbono. Lotus ActiveInsight 6.1.: oferece integração com soluções de Business Intelligence (BI) para consumo de energia em tempo real. Outra tecnologia é o Gerenciamento Eletrônico de Documento (GED) que permite a digitalização e gerenciamento de documentos, diminuindo o trâmite e consumo de papel. O setor bancário brasileiro implantará essa nova tecnologia no Projeto Truncagem de cheques até o final de 2010 e, que mudará o modelo de compensação de cheques no Brasil, substituindo o cheque papel pelo cheque digitalizado.
     
  5. Computador Verde: a nova linha da Asus oferece notebooks com peças intercambiáveis feitas de materiais como madeira, fibra de papelão e bambu.
     
  6. Impressora Verde: a Toshiba desenvolveu um novo modelo de impressora que usa folhas de papel plástico que podem ser reutilizadas até 500 vezes e, imprimem até 12 páginas por minuto. Esta impressora utiliza papel plástico de polietileno, mesmo material utilizado na produção de garrafas pet e, após um processo químico, produz folhas com textura similar a do papel convencional com capacidade de registrar informações, por meio de processos de aquecimento e resfriamento.
     
  7. Lixo digital: o Twitter informou, sem data prevista, medidas para combater o crescente volume de spam entre usuários do serviço.

Empresas Verde, Consultoria em Projetos

Figura: As 10 maiores  empresas verdes do mundo
Fonte: Global Media Deck (2009)

Desta forma, o que a sociedade e as organizações precisam ter é a consciência ecológica. Algumas empresas já implantaram novos métodos sustentáveis, mas ainda muitas precisam encontrar o equilíbrio entre um modelo de negócios sustentável com margem financeira rentável sem agredir o meio ambiente. O que está em jogo é a sobrevivência do ser humano, das suas próximas gerações e o futuro do planeta. Se todos colaborarem na preservação do meio ambiente, a natureza agradece e todos tendem a ganhar. Portanto, caro leitor, finalizo este último artigo da série “Sustentabilidade na Governança” que se propôs o despertar dessa consciência ecológica que pode fazer a diferença. Então faça a sua parte ! Colabore com a natureza.

Texto escrito e publicado em: 26 de outubro de 2009, no site Revista Document Management.

MM Project Treinamento e Soluções em TI
Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 277 - 6º andar  
Bela Vista - São Paulo - SP  - CEP 01317-000
Tel.:  (11) 3675-9112  / (11) 99166.1234

2016 ® Todos os Direitos Reservados • Design by Ideia On