receba newsletter

Sustentabilidade na Governança Corporativa

Notícias

Mônica Mancini

Você já assistiu o documentário The Corporation do diretor Mark Achbar e o escritor e roteirista Joel Bakan que retrata o poder das corporações na sociedade e na vida das pessoas? Este filme mostra um estudo de crimes e fraudes cometidos pelas corporações a fim de alcançar a maximização dos seus lucros a qualquer custo, independente se suas ações desrespeitam as normas sociais, políticas e econômicas da sociedade, se são utilizadas práticas abusivas nas relações de trabalho, como processos desumanos de produção, assédio moral e sexual, exploração da mão-de-obra barata, e sobretudo, a devastação do meio ambiente.

Diante desse panorama, surgiu em 1999, o Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa, como resultado da necessidade de adoção das boas práticas de Governança pelas organizações e elaborado pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC). Este código define a Governança Corporativa como “o sistema pelos quais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre proprietários, Conselho de Administração, Diretoria e órgãos de controles”. As boas práticas de governança corporativa propõem recomendações e alinhamento dos interesses da organização com os acionistas, agregando valor a organização e sua longevidade.

A Governança Corporativa baseia-se em 6 pilares: 1) Proprietários (Sócios), 2) Conselho de Administração, 3) Gestão, 4) Auditoria Independente, 5) Conselho Fiscal e 6) Conduta e Conflito de interesses. Esses pilares estão vinculados em 4 princípios básicos: 1) transparência: disponibilizar informações para as partes interessadas, e não somente aquelas exigidas por lei ou regulamento, 2) Eqüidade: tratamento justo de todos os sócios e demais partes interessadas, 3) Prestação de Contas: os agentes de governança deverão prestar contas de sua atuação e assumir as conseqüências pelos seus atos e omissões e 4) Responsabilidade Corporativa: zelar pela sustentabilidade das organizações para preservar sua longevidade e incorporar ações de ordem social e ambiental na definição de seus negócios. Esses 4 princípios recomendam práticas de sustentabilidade e deverão ser incorporadas pelas organizações em suas estratégias de longo prazo.

Governança Corporativa, Consultoria em Projetos

Figura: Governança - alinhando os interesses dos acionistas com a direção
Fonte: Internet

O conceito da Sustentabilidade é garantir que as necessidades das gerações presentes sejam atendidas sem impedir que as gerações futuras também o façam. Isso significa que a economia deve girar e preservar a natureza, como a provisão de água, a regulação do clima, a formação do solo, entre outros, e não a sua destruição. Pela primeira vez, a humanidade está consciente sobre a importância da preservação do meio ambiente para a sobrevivência dos seres humanos e de suas próximas gerações no planeta, diante de um quadro global que vivemos atualmente de mudanças climáticas e aquecimento global.

A Sustentabilidade representa um modelo de negócios inovador, pois as organizações enfrentarão grandes desafios que consistem: encontrar o equilíbrio na condução de seus negócios, preservar o meio ambiente para as gerações atuais e futuras e garantir a viabilidade econômico-financeiro. Neste cenário, a adoção das melhores práticas de governança corporativa faz-se necessária, pois estas estão ligadas ao comportamento de sócios, investidores financeiros, clientes, fornecedores, empregados, comunidades e legisladores, direta ou indiretamente, com as atividades da empresa. Isto representa grandes desafios na relação entre Governança Corporativa e Sustentabilidade. Há um conflito de interesses quando o acionista, investidor ou o executivo buscam resultados a curto prazo, enquanto que a prática sustentável é baseada em estratégia de longo prazo. Por exemplo: investir na redução da emissão de carbono de uma indústria, modificando o seu sistema de produção. Isso significa que essa ação poderá afetar os lucros da organização a curto prazo, sacrificando o investidor. A longo prazo, a empresa estará alinhada com as melhores práticas de governança. Apesar desses conflitos, muitas empresas já adotam a sustentabilidade nos seus modelos de negócios.

Figura: Sustentabilidade - um novo modelo de negócios
Fonte: Internet

Desta forma, analisaremos no próximo artigo, a contribuição da tecnologia no desenvolvimento sustentável das organizações baseadas nas boas práticas de Governança de TI Verde (Green IT) e as ações tomadas por estas empresas. Aguardem !

Texto escrito e publicado em: 19 de outubro de 2009, no site Revista Document Management.

MM Project Treinamento e Soluções em TI
Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 277 - 6º andar  
Bela Vista - São Paulo - SP  - CEP 01317-000
Tel.:  (11) 3675-9112  / (11) 99166.1234

2016 ® Todos os Direitos Reservados • Design by Ideia On